Dr. Lísias Nogueira Castilho - Urologista | Fone: (19)32540225 / 3112-4600

Dra. Silvia Diez Castilho - Pediatra | Fone: (19)25136091

Artigos

Perda exagerada de cabelos

Um adulto normal, sadio, homem ou mulher, perde entre 100 e 200 fios de cabelo por dia. Ele percebe isso quando penteia os cabelos ou quando vê fios de cabelos em suas roupas de cama, nas suas roupas ou no piso do box. Algumas pessoas ficam desesperadas com isso e desnecessariamente procuram ajuda para evitarem o “desastre” da alopécia, que é o termo médico para a perda anormal de cabelos, com a consequente calvície total ou parcial.

Os médicos especialistas que mais estudam a alopécia são os dermatologistas e os cirurgiões plásticos. Os dermatologistas tentam fazer o diagnóstico da causa da perda exagerada de cabelos e prescrevem tratamentos clínicos para recuperar a cabeleira. Os cirurgiões plásticos fazem transplantes de cabelos, retirando cerca de 3000 fios do couro cabeludo, entre as orelhas, na nuca ou região occipital da cabeça, levando os fios para as áreas de calvície. Isso não se presta para todos os casos, infelizmente. Há doenças que promovem a perda de cabelos e que não têm cura, nem com tratamento clínico, nem com cirurgia. Para esses casos menos comuns, só resta a possibilidade da peruca, casos as vítimas da alopécia não aceitem ficar sem cabelos.

Muitas doenças e medicamentos podem ser responsáveis pela alopécia, além da herança genética. A grande maioria dos casos, felizmente, tem tratamento e cura. Algumas doenças que podem causar alopécia são depressão, estresse, desnutrição, sífilis, micoses do couro cabeludo e muitas outras. Remédios que causam queda exagerada de cabelos, tipicamente, são remédios quimioterápicos utilizados no tratamento de câncer. Esse tipo de alopécia medicamentosa é quase sempre reversível. Terminado o tratamento, os cabelos crescem de novo, mas às vezes bem grisalhos. O exagero nas tinturas e nas tentativas de alisamento e embelezamento dos cabelos nos cabeleireiros pode também promover a alopécia. Há que ter-se moderação na manipulação química dos cabelos.

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault